terça-feira, 18 de dezembro de 2018


I EXPEDIÇÃO DE RADIOAMADORES NA SERRA DA PRATA NO MUNICÍPIO DE SALOÁ-PE 








Aconteceu nesse final de semana dias 15 e 16 de Dezembro de 2018 a I Expedição de Radioamadores na região de Saloá PE mais precisamente na Serra da Prata a aproximadamente 1.180m acima do nível do mar. 


Evento realizado pela Associação de Radioamadores de Garanhuns - ARG com objetivo de nos confraternizar e aproveitar a bela altura pra mantermos contatos com radioamadores do nordeste e de todo o mundo. Foram convidados para o evento 9ºBPM da Polícia Militar de Garanhuns, assim como o Exército 71ºBi Motorizado, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. Na ocasião Sgt César do Corpo de Bombeiros de Garanhuns acompanhou todo o dia 15 (sábado) e ficou impressionado e animado com tudo que viu (vai se tornar um radioamador no futuro...rsrsrsrs).

As frequências utilizadas foram as seguintes:

2M - 146.520 FM
30CM - 433.500 FM
10M - 28.410 USB
11M - 27.475 USB
40M - 7.070 LSB
80M - 3.700 LSB
Além da nossa repetidora de UHF a PY7GA 439.400 (-5000)

Pena que a propagação em HF estava fechada para 10/11m...



A Associação de Radioamadores de Garanhuns agradece a todos que diretamente e indiretamente contribuíram para que este maravilhoso evento e que já se programa para uma II expedição em 2019 agradece também ao moradores da localidade da Prata na qual nos deram suporte e atenção devida lembrando que, a Prata é terra natal do famoso Pascoal de São Paulo do canal 56 (27.565mhz) o PU7KQY e PX2-C8507 que esteve presente conosco.


PARABÉNS À TODOS!!!! 



Mais fotos do evento...

































Alguns Vídeos...














domingo, 9 de dezembro de 2018


Lançado no último domingo um balão atmosférico com transmissor para a faixa de 70cm









Neste domingo, 02 de Dezembro de 2018, foi lançado com sucesso um balão carregando uma carga útil inédita em nosso país: uma radiossonda RS41, da empresa Vaisala, que foi lançada a partir da estação meteorológica de altitude (EMA) da Infraero de Londrina.

Para quem não sabe, diariamente são lançadas dezenas de balões atmosféricos que carregam radiotransmissores, chamados de radiossondas, que monitoram diversos parâmetros da atmosfera como a temperatura do ar, umidade relativa e pressão atmosférica, bem como uma receptor [antena] GPS para registrar o deslocamento da sonda, que permite a medida da direção e velocidade do vento. Com estas informações, são elaborados constantemente os boletins de previsão do tempo apresentados na TV, rádio e internet. Estes dados também são vitais para a segurança e eficiência da aviação.
A vida útil de um balão contendo uma radiossonda limita-se ao tempo em que permanece no ar. Após subir até determinada altitude, o balão estoura e cai, e a partir daí, qualquer pessoa pode ficar com a radiossonda, caso encontre uma. Basta estar no lugar certo e na hora certa, ou então, tentar encontrar utilizando o próprio sinal da sonda para estimar o local aproximado da queda e uma simples antena direcional para ter a localização precisa. Como dissemos, diariamente são lançadas dezenas de sondas no Brasil.
Estas sondas operam na frequência de aproximadamente 403MHz, portanto fora das faixas de radioamador. Alguns colegas perceberam que certos modelos podem ser facilmente modificados para operarem dentro da faixa de 70cm, que vai de 430 a 440MHz. Essas radiossondas da última geração (RS41) são construídas a partir de componentes eletrônicos de uso geral cujos “datasheet” ou folhas de dados podem ser facilmente obtidos, o que permite reprogramá-las com facilidade. Essa nova programação faz com que a radiossonda passe a transmitir dentro da faixa de 70cm do serviço de radioamador. Além disso, a radiossonda passa a transmitir usando modos conhecidos como CW, RTTY e AX.25 (APRS). Foi exatamente um destes modelos que foi coletado por um colega radioamador de SP, o Luciano, PY2OAL.

Os dois modelos de radiossondas usados no Brasil. O da esquerda, não pode ser modificado; O da direita, sim, e foi o modelo usado para a experiência do projeto Ícaro.
Daí, juntamente com o Projeto Ícaro (Introdução ao Conhecimento da Atmosfera pelos RadiOamadores) vários colegas colaboraram para que esta radiossonda fosse reprogramada, testada e agora lançada com sucesso neste domingo.

Transmitindo continuamente na frequência de 435,3 6MHz sinais em CW, RTTY e APRS contendo informações sobre sua posição e altitude, seus sinais foram captados por vários colegas da região que enviaram registros de recepção. E quem estava longe do alcance via rádio também pôde participar da experiência, já que o receptor WEBSDR da cidade de Pardinho, SP, também captou seus sinais permitindo a qualquer pessoa com uma conexão à internet ouvi-los também.



Lançado da cidade de Bauru, SP, o balão subiu até a altitude de 35.244 metros, quando estourou, superando a expectativa de altitude máxima prevista, que era de 34 mil metros. A descida da sonda ocorreu numa velocidade acima da estimada. A hipótese é que o paraquedas tenha se enrolado com os restos do balão no momento do estouro. Porém, isso não causou maiores prejuízos à experiência. Por meio do GPS, foi determinado que a sonda caiu próximo à cidade de Dois Córregos, SP, numa região de mata atlântica, o que torna difícil sua recuperação, infelizmente.

Assista acima ao vídeo com um pouco do que foi o lançamento da radiossonda.

Mas a experiência deu muito certo e espera-se que o projeto Ícaro tenha êxito em outros lançamentos nesta interessante e praticamente inexplorada área do Radioamadorismo no Brasil. Para maiores informações sobre o Projeto Ícaro, visite a sua página oficial: http://projetoicaro.qsl.br/

Um uso bastante interessante é sugerido pelo Luciano, PY2OAL:

"Uma sonda dessas daria para levar o radioamadorismo para as escolas. De que forma? Colocando uma sonda dessa num lugar estratégico na cidade dá para monitorar em várias escolas com uma mesma sonda, mostrando para os alunos como funciona, convertendo os dados no computador, trabalhando com ele nas matérias de física, com gráficos e números na matemática, ciências e outras disciplinas. Só está faltando alguém adotar uma escola, ou um amigo professor e levar esse simples projeto para divulgar nosso hobby"


Anatel publica norma que acaba com a isenção de homologação de equipamentos antigos






A ANATEL publicou no dia 23/11/2018 o Ato Normativo nº 8416, de 08 de novembro de 2018, sobre “Requisitos técnicos para homologação de transmissores, receptores e amplificadores lineares do Serviço de Radioamador”. A norma estabelece, além dos requisitos técnicos para a homologação, o fim da isenção de homologação de equipamentos antigos, comercializados antes de 1982.  Agora, pelo texto publicado, os donos destes equipamentos terão o prazo de seis meses para homologá-los por meio de simples declaração de conformidade, sem a necessidade de ensaios em laboratório. Durante este período de carência de seis meses, em caso de fiscalização por exemplo, estes equipamentos gozarão de presunção de conformidade e não serão causa para multa ou outras sanções legais, caso não estejam homologados.



Na justificativa para a edição do Ato, a Anatel escreve que a Lei Geral de Telecomunicações estabelece que não pode haver isenção de homologação para os equipamentos utilizados em telecomunicações, daí a Agência ter determinado o fim da portaria de 1982, que estabelecia esta isenção, para estar em conformidade com a legislação vigente. Porém, o ato normativo pegou de surpresa os radioamadores, uma vez que agora terão que homologar todos os seus equipamentos, até os mais antigos. A LABRE publicou texto em seu site comunicando esta publicação e expressou também seu espanto: “Esse ato foi redigido internamente e publicado unilateralmente pela ANATEL, sem qualquer participação da sociedade ou consulta pública. A LABRE procurará reunir-se com a ANATEL para esclarecimentos”. (http://labre.org.br/labre-preocupada-com-o-ato-normativo-no-8416-da-anatel/)

O QTC da ECRA estará atento aos desdobramentos deste Ato que porventura sejam potencialmente nocivos ao Radioamadorismo.


Operador da Faixa do Cidadão de SP ajuda a encontrar pessoas desaparecidas por meio do rádio








Em várias matérias aqui no QTC, temos destacado ações de radioamadores de todo mundo que dedicam suas vidas ao serviço da sociedade, especialmente em calamidades públicas. É necessário destacar também o trabalho prestado pelos nossos colegas operadores da Faixa do Cidadão, conhecidos como “PX”, que também utilizam o rádio para prestar relevantes serviços aos que mais precisam.

Hoje destacamos o trabalho de um colega PX da cidade de Araraquara, interior de SP. Seu nome é  José Aparecido Pessetti, de 57 anos, mais conhecido como Zinho Uirapuru, apelido que ganhou entre os amigos do rádio por “falar demais”. E foi assim, falando demais, que ele dedica grande parte da sua vida para ajudar os outros.

José Aparecido Pessetti, de 55 anos, mais conhecido como Zinho Uirapuru, apelido que ganhou entre os amigos do rádio amador por “falar demais”. E foi assim, falando demais, que ele dedicou grande parte da sua vida para ajudar os outros.

Tudo começou em 1988, quando o rádio do cidadão popularizou-se em sua cidade e as pessoas começaram a “brincar” de encontrar coisas via rádio. A partir de informações transmitidas das residências ou veículos, as pessoas disputavam para ver quem achava o “tesouro” primeiro para ganhar o troféu. Zinho, porém, viu que a ferramenta poderia ser mais útil.

De início, sua primeira missão foi achar o cachorrinho de uma menina, que não comia há dias com saudade do animal de estimação. Missão cumprida, partiu para a segunda, bem mais séria: encontrar um medicamento caro e raro que não existia no Brasil para um rapaz com problemas cardíacos. Logo logo, após divulgar a história pelo rádio, ela correu literalmente o mundo e chegou até a França, onde um médico ajudou e mandou várias caixas cheias do medicamento por avião.


Desde então, Zinho se dedica dia e noite para ajudar famílias não só de Araraquara, mas de todo o Brasil. Ele fundou uma ONG chamada “A.R.E.I.A.” (Agrupamento de Rádio Emissão Independente Araraquara) que hoje é reconhecida não só no Brasil como no exterior, principalmente por sua eficiência para encontrar pessoas desaparecidas. De 1988 para cá, quando tudo começou, estima-se que oito mil famílias já reencontraram seus entes queridos.

Ele nunca deixou de trabalhar e nem recebe por prestar esse serviço de utilidade pública, muito pelo contrário, usa o que tem e o que não tem para ajudar o próximo. O problema é que Zinho não recebe nenhum tipo de verba municipal, estadual ou federal para realizar esse serviço, então tira dinheiro do bolso para bancar tudo, com exceção de doações que recebe esporadicamente de cidadãos.



Video com um pouco da história de Zinho

Mas a ONG está com sérios problemas financeiros e administrativos e, por isso, corre riscos de fechar. Hoje Zinho está desempregado, e por isso, a ONG precisa de ajuda para se manter. Falta impressoras, papéis, internet. “Quando Zinho trabalhava ele sustentava uma parte da ONG, mas hoje é 100% sustentada pela ajuda da população”, contou o voluntário Jéferson Henrique Germano.

Ele perdeu o emprego como vigilante, trabalho que rendia o sustento de sua família e também mantinha alguns trabalhos da ONG e sem ajuda financeira, a ONG Areia pode fechar. Zinho chegou a vender equipamentos, dentre eles o seu tão querido rádio, para conseguir manter os trabalhos e agora busca outras colaborações.  Seu trabalho rendeu várias menções em matérias de rádio, TV e internet, saiu até no telejornal da afiliada da Rede Globo, a EPTV.

Quem puder ajudar a ONG Areia, os telefones são (16) 3461-4541 ou (16) 99765-3965. A ONG fica na Avenida Arlindo Miguel, 84, no Jardim Adalberto Roxo, Zona Norte de Araraquara. 

A ONG também tem uma conta onde podem ser feitos depósitos de qualquer quantia. Banco do Brasil, agência 0082-5/conta-corrente: 98.106-0.

domingo, 28 de outubro de 2018


NOVA ZELÂNDIA PROÍBE O USO DE TRANSCEPTORES BAOFENG






Buenas!

A Agência Reguladora de Comunicações da Nova Zelândia (RSM) informou recentemente, a aplicação de restrições de uso de transceptores bidirecionais sem restrições, e em especial, os equipamentos das marcas Baofeng/Pofung, Wouxum, dentre outro. O fato se aplica, pela questão de que estes equipamentos, não atenderem as restrições do Serviço de Radioamador, muitos deles, abertos para frequências não permitidas no País, o quem vem causando problemas com o uso de frequências e espectro não permitidos.

Com essa decisão, as marcas acima mencionadas, teriam dificuldades de ingresso e comercialização por lá. 

A notificação já está pronta, e entrará em vigor a partir de 18 de Outubro de 2018.

Entretanto, a propria agencia permite, através de feedback, que operadores e revendedores efetuem a regularização de entrada e uso destes equipamentos, bastando entrar em contato com a RSM e informando os dados solicitados. 


FATO NÃO É INÉDITO

Vejamos por este prima: no caso da Agencia Reguladora da Nova Zelândia, chega a se comparar com o que aconteceu nos EUA, onde surgiram boatos de que a FCC estaria proibindo o uso de Baofengs.

Na realidade, o que ocorreu por lá, foi justamente a proibição do uso destes equipamentos em serviços como o FRS (Talkabout) e GMRS. Não somente essas, mas também outras de serviço de Banda Larga, Aviação, Serviços Públicos como  Emergências, Policia, dentre outros.

Porém, o que realmente é válido, é o fato de que, se estes equipamentos forem comercializados sem a devida Certificação do FCC (aqui no Brasil, é o equivalente a Homologação/Certificação junto à ANATEL). E todos esses parâmetros, estarão em vigor nos EUa a partir de 2019.


AQUI NO BRASIL

Bem, por aqui, segue o seguinte sistema: Homologação por parte do Operador, desde que opere dentro do espectro determinado ao uso do Serviço de Radioamador, e que tenha a Certificação de conformidade do FCC.

Resumindo: aos poucos, os pequenos chineses vão se adequando as legislações pertinentes de cada país, e vida que segue.

73 a todos!