sábado, 13 de julho de 2019


Radioamador de Roraima consegue contato com o Caribe em VHF


Por Alisson, PR7GA

A cada semana, parece que estamos repetindo as mesmas notícias, mas não: pouco a pouco, os colegas vão despertando para investir em DX nas bandas altas, como dois metros e 70 centímetros. Depois da festa entre África e Caribe, neste último domingo foi a vez do Brasil começar a aproveitar, e o primeiro felizardo desta temporada foi nosso colega Paulo, PV8DX, de Boa Vista, Roraima.

Neste domingo, aproveitando a propagação aberta para o caribe, ele direcionou sua antena para o noroeste, e conseguiu contatos com Porto Rico e República Dominicana, respectivamente a 1800km e 2000km de distância em cada QSO com as seguintes estações:

NP4BM, KP4EIT, WP4G, WP4KJJ, WP3DN (Porto Rico)
HI8DL e HI8PAP (República Dominicana)

Os contatos foram feitos em modo digital FT8. Paulo operou um TS2000 excitando um amplificador linear de fabricação própria, saindo com algo entre 500W e 600W de potência, mais uma antena de 14 elementos e gôndola de quase 9 metros de comprimento. Ele gravou um vídeo para demonstrar o seu feito:



A julgar pelo nível impressionante que os sinais dos "gringos" chegavam em sua estação, imaginamos que um contato em CW ou mesmo fonia teria sido bem possível de ser feito. Coisas da propagação!


Sistema irradiante para a faixa de 2 metros do PV8DX

Parabéns ao Paulo pelo belo recorde! Viva o radioamadorismo!!!

Consulta pública sobre homologação termina com número recorde e instabilidade no último dia



Durante quase um mês, e especialmente nas duas últimas semanas, o radioamadorismo brasileiro esteve agitado por conta da Consulta Pública 21 da Anatel, que abordava o tema HOMOLOGAÇÃO, termo que causa arrepios em muita gente por aí. O QTC da ECRA esteve profundamente engajado na campanha desde o início para que os colegas fizessem suas contribuições. 

Foi criada uma página especial dentro do blog do QTC na internet com informações e um vídeo foi produzido para ajudar os colegas a realizarem suas contribuições, processo que deveria ser bem simples, mas que se torna bem complicado devido ao péssimo e pouco intuitivo sistema da Anatel. Também divulgamos amplamente o texto produzido pela Labre para ajudar aos colegas a expor, de forma clara e embasada, o que pensa a maioria dos radioamadores brasileiros acerca deste tema tão sensível.


Iniciada em 07 de junho de 2019, a CP21 recolheu contribuições de todas as partes do país. Especialmente na semana passada, vimos o esforço de inúmeros colegas que repassavam informações sobre a consulta pública em suas redes sociais e também via rádio, procurando instruir os colegas acerca de sua importância e até se oferecendo para ajudar a realizar a contribuição.

Finalmente, o prazo final chegou, 06 de julho de 2019 às 23:59. Porém, para desgosto e ira de muitos colegas, aparentemente alguém puxou a tomada dos servidores, e o sistema da Anatel ficou inoperante a partir de meados do início da tarde, impedindo esses colegas de também contribuírem. Porém, a própria Anatel ja havia avisado que este tipo de problema poderia acontecer e que o prazo não seria prorrogado por conta disso...

De qualquer forma, a Consulta Pública 21 foi encerrada com participação recorde: foram 1881 contribuições no total, entre colegas e outros interessados de todo o país. Em rápida pesquisa no site da Anatel, constatamos que outras consultas públicas têm participações muito mais modestas. Este ano, das já realizadas, a que teve maior número foi a Nº 14, com apenas 84 participações. Ano passado, apenas como exemplo, a de Nº 31 teve 555 contribuições e a de Nº 49 teve 334 participações. Mas em sua imensa maioria, as demais consultas públicas sequer chegam à casa da primeira centena.

Ainda que 1881 seja pouco mais de 3% do número de estações licenciadas no Brasil somente no serviço de radioamador, é preciso que se diga que foi uma grande vitória. A mobilização e o "barulho" foi imenso, sobretudo na última semana. Independentemente da resposta da Anatel à voz quase unânime do radioamadorismo brasileiro, vimos que é possível, sim, termos uma voz audível junto ao órgão regulatório.

Esperamos, outrossim, que a Anatel observe não só este número expressivo de contribuições, mas que sobretudo veja que nossas aspirações no tocante ao tema da consulta pública 21, além de legalmente razoáveis, são pedidos de socorro contra uma legislação nociva e sufocante ao espírito do radioamadorismo, serviço de notória utilidade pública em inúmeras situações, seja em emergências, seja como elemento de auxílio multidisciplinar à educação de crianças e jovens, seja como hobby técnico-científico.

Viva o radioamadorismo! Parabéns aos radioamadores!

Realizado primeiro contato entre radioamadores utilizando satélite em órbita lunar


Um contato histórico aconteceu semana passada utilizando um satélite. Porém, não um satélite em órbita terrestre, mas um pequeno objeto orbitando a lua. O QSO inédito, feito entre radioamadores na Alemanha e na China, ocorreu em 1º de julho por meio do satélite LO-4 em órbita lunar, DSLWP-B, lançado em maio de 2018. O QTC da ECRA noticiou o feito naquela ocasião.Clique aqui para ler.

Num dos lados do QSO estava Reinhard Kuehn, DK5LA, em Soerup, Alemanha, e do outro, a estação do Clube de Radioamadores do Instituto Harbin de Tecnologia, BY2HIT (operado por Wei Mingchuan, BG2BHC), em Harbin, na China. Tudo ocorreu entre 05:51 e 07:28 UTC, de acordo com o log registrado. O transponder GMSK-to-JT4G a bordo do DSLWP-B foi usado para fazer o contato, o primeiro já feito através de um repetidor orbital-lunar.

“Usar este transponder não é fácil, em termos da potência de sinal necessária para o uplink”, comentou o radioamador e engenheiro Daniel Estévez, EA4GPZ, cujo blog inclui imagens da superfície lunar baixadas via DSLWP-B. “Havia planos para fazer um QSO entre BY2HIT e Reinhard há muitos meses atrás, mas as tentativas anteriores não deram certo. Meus parabéns a ambos, que conseguiram este contato um mês antes do DSLWP-B bater contra a superfície lunar”. 

Como Estévez explicou, o transponder GMSK para JT4G funciona enviando comandos para o satélite junto com uma mensagem de 13 caracteres, usando a mesma frequência e um protocolo semelhante ao que comanda a câmera e outras funções do satélite. Ele disse que enviar uma mensagem dessa maneira leva um pouco mais de 1 minuto.

Logo após seu lançamento, foi um radioamador brasileiro, o PY2SDR, Edson Pereira, o primeiro a conseguir captar seus sinais aqui na Terra. O radioamadorismo está, portanto, sempre presente na vida do pequeno satélite, que infelizmente está com os dias contados, pois está em rota de colisão com a Lua, fato que deve ocorrer no final deste mês, segundo as previsões divulgadas.

O satélite recebe comandos remotos utilizando um protocolo aberto, o que permite que radioamadores o utilizem para capturar imagens e baixá-las. Na semana passada, o DSLWP-B transmitiu imagens da lua e da Terra durante o eclipse solar. DSLWP-B foi lançado como uma carga secundária juntamente com o satélite Quequiao como parte da missão Chang'e 4 com destino ao lado oculto da lua. 

DSLWP significa “Descobrindo o Céu no Maior Desvio de Comprimento de Onda” e foi projetado para testar a radioastronomia de baixa freqüência e a interferometria espacial. O uplink do repetidor está em 2 metros e o downlink está em 70 centímetros.

Abaixo, algumas imagens tiradas pelo pequeno satélite e recebidas por radioamadores aqui na Terra:





Fontes:

sexta-feira, 5 de abril de 2019



Radioamadora adolescente de Guarabira se destaca em concurso internacional



Mais uma vez, a pequenina cidade de Guarabira dá show quando se fala em radioamadorismo. Noticiamos aqui no QTC que é de lá que vem o radioamador mais novo da Paraíba, o Kaio PU7GUI. Agora é a vez de falarmos de outro representante guarabirense no éter. Aliás, UMA representante.

Trata-se da Maria Emília, PU7EYL. Com apenas 14 anos, ela já participa de concursos como gente grande. No ano passado, ainda com 13 anos, ela já acumula participações nos concursos CVA 2018 e CQWW 2018, e em 2019 já participou do CQWPX, todos na modalidade FONIA e categoria "ROOKIE", para participantes recém licenciados, com exceção do CVA no qual participou como TEEN, para radioamadores com até 17 anos de idade.

Esta semana, foi divulgado o resultado do concurso CQWW 2018. Para a alegria de seu pai e seu avô, PU7EYL ficou em 5º lugar no Brasil e 12º lugar na América do Sul entre os novatos, e em 11º lugar no Brasil, 24º América do Sul e 42º no mundo!. Abaixo, o certificado de participação da garota:



Maria Emília é neta e filha de radioamadores guarabirenses, respectivamente Murilo PR7AYE e Murilo Filho PR7AF, e enche de orgulho seu pai e seu avô, colegas conhecidos e queridos em toda a Paraíba. Ela prestou seu exame em Campina Grande em 2018, quando esteve devidamente acompanhada por vovô Murilo, que não escondia sua alegria pela pequena candidata, que logo seria confirmada como mais uma representante da família no radioamadorismo, em sua segunda geração.

No dia do exame da Maria Emília, temos na foto o vovô Murilo PR7AYE, Maria Emília, João Barros PR7TT e Alisson PR7GA

Parabéns à nossa jovem colega YL! A equipe QTC e toda a ECRA desejam a ela muitos DX e conquistas!

Estação Espacial Internacional busca escolas de todo o mundo para contatos via rádio

Traduzido porAlisson, PR7GA

A partir de 1º de Abril de 2019, o programa denominado "Radioamadorismo na Estação Espacial Internacional" (ARISS) está coletando propostas de escolas, museus, centros de ciência e organizações juvenis comunitárias (tanto individualmente quanto juntos) para realizar contatos via rádio com um membro da tripulação da Estação Espacial Internacional (ISS) entre 1 de janeiro de 2020 e 30 de junho de 2020.

Neste período a cada ano, o programa ARISS oferece a dezenas de milhares de alunos  uma oportunidade de aprendizado sobre tecnologias espaciais, comunicações e muito mais através da utilização do radioamadorismo no espaço. O programa ARISS conecta estudantes a astronautas na ISS através de uma parceria entre a NASA, a Radio Amateur Satellite Corporation, a American Radio Relay League, outras organizações globais de Radioamadorismo e as agências espaciais mundiais. O objetivo do programa é inspirar os alunos a buscar interesses e carreiras em ciência, tecnologia, engenharia e matemática (CTEM) assim como no radioamadorismo.

Educadores que participaram de contatos com a ISS relatam regularmente que a participação dos alunos no programa ARISS estimula o interesse em disciplinas e carreiras das áreas CTEM. Um deles escreveu: "Muitos dos alunos do ensino fundamental que participaram e participam de contatos com a Estação Espacial Internacional foram estimulados  a escolherem cursos de ciências no ensino médio como resultado desse contato." Como resultado deste interesse, vários clubes de radioamadores estão sendo organizados em escolas e centros de aprendizagem.

A ARISS está procurando por organizações que atraiam um grande número de participantes e que possam inserir o contato com a ISS em um plano educacional bem desenvolvido e estimulante. Os alunos podem aprender sobre comunicações via satélite, tecnologia sem fio, pesquisa científica conduzida na ISS, ciência de rádio e outros assuntos ligados à CTEM. Os alunos aprendem a usar o radioamadorismo para poder falar diretamente com um astronauta e fazer perguntas a ele relacionadas a CTEM. A ARISS ajudará as escolas a localizar grupos de radioamadores que possam ajudar com equipamentos para que os estudantes possam aproveitar esta oportunidade única. 

O prazo para envio das propostas foi iniciado em 1º de abril de 2019 e vai até 15 de maio de 2019. Para obter diretrizes e formulários de proposta e mais detalhes, acesse:

Embora focado em escolas dos EUA, o programa também contempla organizações de todo o mundo. Para o Brasil e o restante das américas (com a exceção dos EUA), é necessário contatar o representante da ARISS Steve McFarlane, VE3TBD, por email.

Sobre a ARISS

O programa Radioamadorismo na Estação Espacial Internacional (ARISS) é um programa cooperativo de sociedades internacionais de radioamadores e as agências espaciais que apóiam a Estação Espacial Internacional (ISS). Nos Estados Unidos, os patrocinadores são a Radio Amateur Satellite Corporation (AMSAT), a American Radio Relay League (ARRL), o Centro para o Avanço da Ciência no Espaço (CASIS) e a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA).

O principal objetivo do ARISS é promover a exploração de temas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática (CTEM) organizando contatos programados via estações de radioamador entre membros da tripulação a bordo da ISS e estudantes em salas de aula ou locais públicos. Antes e durante esses contatos de rádio, estudantes, educadores, pais e comunidades aprendem sobre espaço, tecnologias espaciais e radioamadorismo.

Para mais informações, consulte www.ariss.org.

terça-feira, 18 de dezembro de 2018


I EXPEDIÇÃO DE RADIOAMADORES NA SERRA DA PRATA NO MUNICÍPIO DE SALOÁ-PE 








Aconteceu nesse final de semana dias 15 e 16 de Dezembro de 2018 a I Expedição de Radioamadores na região de Saloá PE mais precisamente na Serra da Prata a aproximadamente 1.180m acima do nível do mar. 


Evento realizado pela Associação de Radioamadores de Garanhuns - ARG com objetivo de nos confraternizar e aproveitar a bela altura pra mantermos contatos com radioamadores do nordeste e de todo o mundo. Foram convidados para o evento 9ºBPM da Polícia Militar de Garanhuns, assim como o Exército 71ºBi Motorizado, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. Na ocasião Sgt César do Corpo de Bombeiros de Garanhuns acompanhou todo o dia 15 (sábado) e ficou impressionado e animado com tudo que viu (vai se tornar um radioamador no futuro...rsrsrsrs).

As frequências utilizadas foram as seguintes:

2M - 146.520 FM
30CM - 433.500 FM
10M - 28.410 USB
11M - 27.475 USB
40M - 7.070 LSB
80M - 3.700 LSB
Além da nossa repetidora de UHF a PY7GA 439.400 (-5000)

Pena que a propagação em HF estava fechada para 10/11m...



A Associação de Radioamadores de Garanhuns agradece a todos que diretamente e indiretamente contribuíram para que este maravilhoso evento e que já se programa para uma II expedição em 2019 agradece também ao moradores da localidade da Prata na qual nos deram suporte e atenção devida lembrando que, a Prata é terra natal do famoso Pascoal de São Paulo do canal 56 (27.565mhz) o PU7KQY e PX2-C8507 que esteve presente conosco.


PARABÉNS À TODOS!!!! 



Mais fotos do evento...

































Alguns Vídeos...














domingo, 9 de dezembro de 2018


Lançado no último domingo um balão atmosférico com transmissor para a faixa de 70cm









Neste domingo, 02 de Dezembro de 2018, foi lançado com sucesso um balão carregando uma carga útil inédita em nosso país: uma radiossonda RS41, da empresa Vaisala, que foi lançada a partir da estação meteorológica de altitude (EMA) da Infraero de Londrina.

Para quem não sabe, diariamente são lançadas dezenas de balões atmosféricos que carregam radiotransmissores, chamados de radiossondas, que monitoram diversos parâmetros da atmosfera como a temperatura do ar, umidade relativa e pressão atmosférica, bem como uma receptor [antena] GPS para registrar o deslocamento da sonda, que permite a medida da direção e velocidade do vento. Com estas informações, são elaborados constantemente os boletins de previsão do tempo apresentados na TV, rádio e internet. Estes dados também são vitais para a segurança e eficiência da aviação.
A vida útil de um balão contendo uma radiossonda limita-se ao tempo em que permanece no ar. Após subir até determinada altitude, o balão estoura e cai, e a partir daí, qualquer pessoa pode ficar com a radiossonda, caso encontre uma. Basta estar no lugar certo e na hora certa, ou então, tentar encontrar utilizando o próprio sinal da sonda para estimar o local aproximado da queda e uma simples antena direcional para ter a localização precisa. Como dissemos, diariamente são lançadas dezenas de sondas no Brasil.
Estas sondas operam na frequência de aproximadamente 403MHz, portanto fora das faixas de radioamador. Alguns colegas perceberam que certos modelos podem ser facilmente modificados para operarem dentro da faixa de 70cm, que vai de 430 a 440MHz. Essas radiossondas da última geração (RS41) são construídas a partir de componentes eletrônicos de uso geral cujos “datasheet” ou folhas de dados podem ser facilmente obtidos, o que permite reprogramá-las com facilidade. Essa nova programação faz com que a radiossonda passe a transmitir dentro da faixa de 70cm do serviço de radioamador. Além disso, a radiossonda passa a transmitir usando modos conhecidos como CW, RTTY e AX.25 (APRS). Foi exatamente um destes modelos que foi coletado por um colega radioamador de SP, o Luciano, PY2OAL.

Os dois modelos de radiossondas usados no Brasil. O da esquerda, não pode ser modificado; O da direita, sim, e foi o modelo usado para a experiência do projeto Ícaro.
Daí, juntamente com o Projeto Ícaro (Introdução ao Conhecimento da Atmosfera pelos RadiOamadores) vários colegas colaboraram para que esta radiossonda fosse reprogramada, testada e agora lançada com sucesso neste domingo.

Transmitindo continuamente na frequência de 435,3 6MHz sinais em CW, RTTY e APRS contendo informações sobre sua posição e altitude, seus sinais foram captados por vários colegas da região que enviaram registros de recepção. E quem estava longe do alcance via rádio também pôde participar da experiência, já que o receptor WEBSDR da cidade de Pardinho, SP, também captou seus sinais permitindo a qualquer pessoa com uma conexão à internet ouvi-los também.



Lançado da cidade de Bauru, SP, o balão subiu até a altitude de 35.244 metros, quando estourou, superando a expectativa de altitude máxima prevista, que era de 34 mil metros. A descida da sonda ocorreu numa velocidade acima da estimada. A hipótese é que o paraquedas tenha se enrolado com os restos do balão no momento do estouro. Porém, isso não causou maiores prejuízos à experiência. Por meio do GPS, foi determinado que a sonda caiu próximo à cidade de Dois Córregos, SP, numa região de mata atlântica, o que torna difícil sua recuperação, infelizmente.

Assista acima ao vídeo com um pouco do que foi o lançamento da radiossonda.

Mas a experiência deu muito certo e espera-se que o projeto Ícaro tenha êxito em outros lançamentos nesta interessante e praticamente inexplorada área do Radioamadorismo no Brasil. Para maiores informações sobre o Projeto Ícaro, visite a sua página oficial: http://projetoicaro.qsl.br/

Um uso bastante interessante é sugerido pelo Luciano, PY2OAL:

"Uma sonda dessas daria para levar o radioamadorismo para as escolas. De que forma? Colocando uma sonda dessa num lugar estratégico na cidade dá para monitorar em várias escolas com uma mesma sonda, mostrando para os alunos como funciona, convertendo os dados no computador, trabalhando com ele nas matérias de física, com gráficos e números na matemática, ciências e outras disciplinas. Só está faltando alguém adotar uma escola, ou um amigo professor e levar esse simples projeto para divulgar nosso hobby"