segunda-feira, 17 de setembro de 2018



COMUNICAÇÃO

Anatel começa domingo processo de bloqueios de celulares irregulares

Quem estiver utilizando aparelhos celulares irregulares vai começar a receber a partir deste domingo mensagens alertando sobre o problema


Da Agência Brasil
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que começa a partir de domingo (23), em dez estados, o processo de bloqueio de celulares irregulares, aparelhos adulterados, roubados, extraviados e não certificados pela Anatel. Segundo a agência, que divulgou a informação nesta segunda-feira (17), a medida atinge os usuários de celulares de estados das regiões Centro-Oeste, Sul, Norte e Sudeste. No Acre, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, Tocantins, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, quem estiver utilizando aparelhos irregulares vai começar a receber a partir deste domingo mensagens alertando sobre o problema.
Nesses estados, a medida vale para aparelhos irregulares habilitados a partir de 23 de setembro de 2018. Os aparelhos irregulares receberão a partir de domingo a seguinte mensagem, enviada pelo número 2828: “Operadora avisa: Pela Lei 9.472 este celular está irregular e não funcionará nas redes celulares em 75 dias. Acesse www.anatel.gov.br/celularlegal”
Já o bloqueio dos aparelhos será feito a partir do dia 8 de dezembro. A última mensagem, na véspera do bloqueio, apresentará o seguinte conteúdo: “Operadora avisa: Este celular IMEI XXXXX é irregular e deixará de funcionar nas redes celulares. Acesse www.anatel.gov.br/celularlegal”

Aparelhos certificados

De acordo com a legislação, todo aparelho celular em uso no país deve ser certificado ou ter sua certificação aceita pela Anatel. “Aparelhos celulares certificados passaram por uma série de testes antes de chegarem às mãos do consumidor. O usuário deve sempre procurar o selo da Anatel no verso da bateria do celular e também no carregador”, informou a assessoria da agência.
Com o bloqueio, a Anatel pretende coibir o uso de telefones móveis não certificados, com IMEI adulterado, clonado ou outras formas de fraude. Segundo a Anatel, os usuários que já têm aparelhos móveis irregulares habilitados não serão desconectados, caso não alterem o número.
IMEI (do inglês International Mobile Equipment Identity) é o número de identificação do celular. O IMEI DB, como é chamado, é acessado por fabricantes, operadoras e agências reguladoras de todo o mundo, razão pela qual aparelhos certificados em qualquer país têm o número de identificação.
Para saber se o número de IMEI é legal, basta discar *#06#. Se a numeração coincidir com o que aparece na caixa, o aparelho é regular. Caso contrário, há uma grande chance de o aparelho ser irregular.
A agência disse que, uma parceria entre prestadoras, fabricantes e a Anatel serviu para a implantação de um sistema informatizado que identifica os celulares irregulares em uso na rede.
Chamado de “Celular Legal” o projeto de bloqueio foi divido em três fases. A fase piloto (1ª fase) começou com o envio e mensagens em 22 de fevereiro de 2018 para os usuários de Goiás e do Distrito Federal, e o bloqueio começou a partir do dia 9 de maio.
“Até julho deste ano, foram bloqueados por irregularidades 41.827 acessos de telefonia móvel/internet móvel em Goiás e no Distrito Federal, o que representou 0,3% do total de 12.587.694 de acessos em funcionamento, sendo 5.308.975 no DF e 7.278.719 em Goiás”, disse a Anatel.

Nordeste e demais estados

De acordo com a agência, a terceira fase abrangerá a Região Nordeste e demais estados do Norte e do Sudeste, incluindo São Paulo. Para esses estados, o encaminhamento de mensagens aos usuários começa a partir de 7 de janeiro de 2019 e impedimento do uso dos aparelhos irregulares será a partir de 24 de março de 2019. Nesses estados, a medida vale para aparelhos irregulares habilitados a partir de 7 de janeiro de 2019.
Consumidores que estejam utilizando aparelhos irregulares antes dessas datas não serão desconectados caso não alterem o seu número. Já aqueles que conectarem às redes de telecomunicações aparelhos irregulares após essas datas serão notificados por mensagens SMS e, após 75 dias, o aparelho não irá mais funcionar nas redes de telecomunicações.

Celulares estrangeiros

Celulares comprados no exterior vão continuar funcionando no Brasil, desde que sejam certificados por organismos estrangeiros equivalentes à agência reguladora. Um celular só é considerado irregular quando não possui um número IMEI registrado no banco de dados da GSMA, associação global de operadoras.
Não serão considerados irregulares os equipamentos adquiridos por particulares no exterior que, apesar de ainda não certificados no Brasil, tenham por origem fabricantes legítimos.

https://radiojornal.ne10.uol.com.br/noticia/2018/09/17/anatel-comeca-domingo-processo-de-bloqueios-de-celulares-irregulares-60869?utm_source




domingo, 2 de setembro de 2018


FETECRA – Feira e Encontro de Radioamadores de Campina Grande será realizada no dia 30 de setembro





quinta-feira, 2 de agosto de 2018

O HAARP, a “Máquina controladora de mentes” estará ativa em faixas de radioamadores




Por Alisson Teles Cavalcanti, PR7GA

Você já ouviu falar da HAARP? Segundo sites e jornais sensacionalistas, e até membros oficiais de governos como o Irã,é uma máquina feita pelo governo americano para, segundo eles, “controlar mentes e o clima e provocar terremotos a nível mundial”.


Antes de mais nada, esta máquina de fato existe e está ativa desde a última segunda feira, dia 30 de julho. Quanto aos seus supostos efeitos... Ora, sabemos muito bem que não se deve dar muito crédito a estas fontes, mas as citamos apenas a título de curiosidade para apresentar o tema desta matéria (HI). Vamos aos fatos.



Uma visão aérea do complexo aonde ficam as antenas e transmissores 

O que seria o HAARP? É a sigla para Programa de Pesquisa Ativa de Alta Frequência da Aurora, e consiste de um centro de pesquisa localizado no Alaska cujo núcleo é composto por um conjunto perfeitamente cofasado de 180 antenas dipolo de HF dispostas de forma cruzada e lado a lado. Este conjunto imenso de antenas é ligado a 30 casas de transmissores, e cada casa abriga seis transmissores de 10KW cada. Assim, este imenso conjunto é capaz de irradiar até 3,6 megawatts de potência de RF direto para a ionosfera. O objetivo é aquecê-la para avaliar suas irregularidades localmente e também observar o alcance destas transmissões a nível mundial. O HAARP é capaz de operar desde 2,7MHz até 10MHz em frequências específicas e predeterminadas, todas fora das faixas de radioamador.

 População em visita ao HAARP. Obviamente as transmissões NÃO estão ativas...


A ionosfera começa a cerca de 60 a 80 km de altitude e se estende até cerca de 500 km de altitude. Existem elétrons e íons livres na ionosfera com os quais as ondas de rádio podem interagir. É esta interação que permite, por exemplo, as comunicações em HF a nível mundial, pois a ionosfera atua como se fosse um imenso escudo onde as ondas de rádio em certas frequências ricocheteiam de volta à Terra, permitindo ser captadas fora do alcance visual, ao redor da circunferência de nosso planeta.



As ondas de rádio do HAARP aquecem os elétrons e criam pequenas perturbações que são similares aos tipos de interação que acontecem na natureza. Fenômenos naturais são aleatórios e muitas vezes difíceis de serem observados. Com o HAARP, os cientistas podem controlar quando e onde as perturbações ocorrem para que possam medir seus efeitos. Além disso, eles podem repetir experimentos para confirmar que as medições realmente mostram o que os pesquisadores observaram ou previram em suas pesquisas.





O HAARP foi construído e operou durante muitos anos a serviço do governo americano através da sua Força Aérea, o que contribuiu e muito para as teorias conspiratórias. Porém, desde 2015, o HAARP é controlado e serve apenas a pesquisas universitárias, estando sob o controle da Universidade Fairbanks do Alaska.

 

Dito isto, o que este sistema tem a ver com o radioamadorismo, já que ele não opera dentro de nossas faixas? Acontece que o pesquisador do Grupo de Física Espacial da Universidade do Alasca Fairbanks (UAF) e cientista-chefe do HAARP, Chris Fallen, também é radioamador (KL3WX), e decidiu, pela primeira vez na história, utilizar as faixas de radioamadores para as transmissões do HAARP.


O pesquisador chefe do projeto, Chris Fallen, também é radioamador (KL3WX)

Desde anteontem, além das transmissões nas frequências usuais, os pesquisadores aproveitarão o protocolo digital WSPR e a Rede de Relatores de Propagação de Sinais Fracos (WSPRnet) durante uma curta campanha experimental. O pesquisador chefe Chris Fallen disse à ARRL que ele estará conduzindo pesquisas sobre irregularidades ionosféricas, e utilizará a rede WSPR por suas características únicas, pois permite a recuperação de dados de recepção incluindo a localização da estação receptora e também o nível de sinal recebido, dados imprescindíveis para a sua pesquisa. Antes de usar a rede WSPR, as pesquisas exigiam o envio desses dados de forma manual, enquanto que na rede WSPR isso é feito de forma automática, em tempo real.



Aspecto do programa WSJT-X, utilizado para decodificar os sinais da rede WSPR


As transmissões em WSPR ocorrem entre aproximadamente 23:40 e 24:00 horas UTC em todos os 3 dias, na freqüência padrão de WSPR de 80 metros de 3.592,6 MHz, e também em 40m em 7.038,6 kHz. O HAARP transmitirá em AM com portadora completa, já que não está equipado para transmitir em SSB que é o padrão em WSPR. O indicativo de chamada do HAARP será WI2XFX.


Como os sinais WSPR são captados e confirmados. Cada linha representa um contato.


Pelo padrão WSPR, as transmissões devem citar a potência de transmissão dos sinais emitidos, além de outras informações. Porém, uma curiosidade para quem conseguir decodificar é que a potência real de transmissão será maior do que a relatada, pois está fora do alcance do que o software permite que seja codificado. Segundo informado pelos pesquisadores, a potência transmitida será da ordem de 80kW.



Este é mais uma ótima notícia para a comunidade radioamadorística ao redor do mundo, pois mostra que nós podemos contribuir e muito com a Academia. O campo de pesquisa do HAARP é algo muito novo, pois envolve o entendimento do clima espacial, algo que afeta diretamente as comunicações via rádio a nível mundial. Com o experimento conduzido nestes três dias, liderado por um radioamador e auxiliado pela imensa comunidade radioamadorística ao redor do mundo, estejamos certos de que nosso hobby continua firme, atuante e relevante para a ciência, como sempre esteve.



Lembrando que hoje será o último dia de transmissões em WSPR. Daqui a pouco, às 20:40 horário de Brasília, ligue seu rádio em 3.592,6kHz e em 7.038,6kHz e tente captar as transmissões.



Fontes:


sexta-feira, 27 de julho de 2018

Mais três CubeSats prontos para lançamento em agosto/2018


A segunda geração de CubeSats na constelação BIRDS agora está a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) e deve ser lançada no início de agosto usando o braço de manipulação remota do módulo da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA). O foguete Falcon 9 da empresa SpaceX, lançado em 29 de junho, levou os CubeSats BIRDS-2 - MAYA-1, BHUTAN-1 e UiTMSAT-1, construídos por estudantes da Malásia, Butão e Filipinas no Instituto Kyushu de Tecnologia no Japão. Todos os CubeSats têm designs idênticos e utilizam as mesmas frequências. Embora contruídos de forma independente, a operação e o controle dos três CubeSats serão compartilhados por três equipes após eles serem lançados ao espaço. Todos os três CubeSats transmitirão um sinal piloto CW em 437,375 MHz. Eles estarão operacionais por 6 meses.



Lançamento dos satélites a bordo do foguete Falcon 9



“Os três formarão uma constelação, orbitando a Terra de diferentes lugares. Isso proporcionará aos países mais oportunidades de fazer medições e executar experimentos do que se fosse apenas um CubeSat”, explicou Joel Joseph Marciano, Jr., gerente do programa PHL-Microsat nas Filipinas. A principal missão destes microssatélites é retransmitir mensagens digitais em rádio pacote para comunidade de Radioamadores por meio de um digipeater APRS onboard operando na frequência de 145.825 MHz.

Equipe de pesquisadores que desenvolveram os microssatélites


O sistema store-and-forward CubeSat da BIRDS irá também coletar dados de sensores remotos de solo, armazená-los e transferi-los para a rede de estações terrestres BIRDS-2, iniciada no ano passado durante o projeto constelação BIRDS-1 CubeSat.



O CubeSat carregará duas câmeras idênticas com lentes diferentes para capturar imagens com resolução variável. As câmeras também serão usadas para capturar um vídeo de resolução mínima do espaço para fins experimentais.


Os três microssatélites de perto


Os CubeSats também transportarão sensores de campo magnético para medir o campo magnético no espaço e compará-lo com o medido no solo.

Experimentos adicionais usarão a constelação BIRDS-2 CubeSat para aprimorar a pesquisa e o experimento na detecção de eventos de travamento único, medições de campo magnético e testes de voo de um chip GPS recém-projetado para demonstrar suas capacidades de operação de baixa potência no espaço. Os alunos também explorarão um mecanismo passivo de estabilização de atitude. Todas as medições e dados de imagem serão disponibilizados no site do projeto BIRDS-2.

O BIRDS-2 tem como objetivo promover a disseminação da comunicação radioamadorística e dos satélites amadores entre o público em geral e os estudantes, especialmente nos países participantes.